Navegar para Cima
Logo
Secretaria Regional da Agricultura e Florestas
Direção Regional dos Recursos Florestais
 



​ Cinegética

 

Em termos recreativos a caça representa uma importante componente ao nível do leque de ofertas que o arquipélago dos Açores dispõe, relativamente ao aproveitamento dos seus recursos naturais. A diversidade de espécies cinegéticas existentes não é grande, quando comparada com a realidade do continente português, no entanto, na maioria das ilhas e para a maioria das espécies, podemos encontrar níveis de densidade populacional confortáveis e sobretudo a ocorrência de uma boa capacidade natural para a reposição dos efetivos da maioria das espécies cinegéticas sujeitas à pressão da caça.

 A Região Autónoma dos Açores possui a sua própria legislação para a caça. Apesar da atual legislação prever que a gestão e o ordenamento dos recursos cinegéticos regionais possam ser feitos sob a forma de regime ordenado ou não ordenado, o facto é que a caça nos Açores é praticada apenas em regime não ordenado, o que leva que a atual estratégia da Direção Regional dos Recursos Florestais (DRRF), para a gestão da caça nos Açores, assuma como principais pilares para a gestão sustentável dos recursos cinegéticos, a monitorização da abundancia populacional das diferentes espécies cinegéticas, através da implementação de metodologias de censo ajustadas à realidade regional, e o acompanhamento da evolução do esforço de caça exercido em cada uma das diferentes ilhas, a partir da concessão de licenças de caça por ilha, instrumentos indispensáveis para o estabelecimento de calendários venatórios ajustados à realidade de cada ilha.
 
O reflexo de uma realidade marcada pela insularidade, onde se constatam diferentes realidades entre as nove ilhas do arquipélago, no que concerne às características e disponibilidade dos diferentes tipos de habitat, às diferenças em termos da densidade de habitantes por ilha e consequentes repercussões ao nível das alterações do meio natural, aos diferentes níveis de pressão sobre a caça em função do número de caçadores existente em cada ilha, entre outros aspetos não menos importantes. Todos obrigam ao redobrar dos cuidados na gestão da caça nos Açores, sendo a preservação e perpetuação das espécies cinegéticas disponíveis para a caça a principal preocupação da DRRF.